domingo, 13 de fevereiro de 2011

FLORES QUE FALAM











Boquê ou solitária
Com espinhos ou encanto,
Anunciam o amor
E ornamentam altares.
Acirram os ânimos
Declaram guerras
Mas silenciam canhões.
Marcam idas
Também boas-vindas.
Confortam enfermos,
Amenizam dores
Ou provocam outras tantas.
Imploram perdão
Geram indiferença ou emoção.
Honram os que já partiram
Festejam os que virão!
Entre chorar e sorrir
Sofrer ou odiar:
Dualidade as flores!
Mas como elas falam!

1 comentário:

Desbúruru disse...

As flores são as flores.

Estão no nosso nascer.

Estão no nosso morrer.

Elas sempre estarão por aqui.

Nós é que somos passageiros.